Doenças do aparelho digestivo

Retocolite Ulcerativa - RCU

O que é Retocolite Ulcerativa Idiopática?
 

A retocolite ulcerativa idiopática é uma doença que atinge especificamente o reto e o intestino grosso (cólon), causando inflamação e ulcerações em sua superfície interna - a mucosa. Juntamente com a Doença de Crohn fazem parte das Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), patologias que cursam com inflamação no intestino grosso e delgado.

  • A RCUI também é conhecida como colite ou proctite.
  • A colite ulcerativa atinge pessoas de todas as idades, mas a maior freqüência está entre os 15 e 30 anos. Mulheres e homens são igualmente atingidos e parece haver casos repetidos na família.
  • A inflamação estimula o cólon a esvaziar-se mais rápido, causando diarréia.
  • A presença das úlceras faz com que ocorra sangramento e sida de pus nas fezes.
     

Quais os sintomas da Retocolite Ulcerativa Idiopática?
 

Os sintomas mais comuns são a dor abdominal e a diarréia com sangue. Também podem apresentar:

  • Fadiga
  • Perda de peso
  • Perda do apetite
  • Sangramento retal
     

Perda nas fezes de fluidos e nutrientes (diarréia) Mais da metade dos pacientes tem sintomas leves. Outros apresentam episódios repetidos de febre, diarréia com sangue e dor abdominal tipo cólica.

Em alguns casos acompanha-se de artrite, inflamação nos olhos, doenças no fígado (hepatite, cirrose, colangite esclerosante primária), osteoporose, manchas vermelhas na pele e anemia.

Acha-se que pode haver a ação do sistema imunológico nestes órgãos para explicar o porquê dos sintomas extracolônicos.

Como é tratada a Retocolite Ulcerativa Idiopática?
 

O Tratamento depende da localização, extensão e intensidade com que o cólon está envolvido. A grande maioria dos casos é tratada com remédios, entretanto a cirurgia é um grande auxiliar na terapêutica de pacientes graves e complicados.

Cada portador pode experimentar a doença de forma diferente, portanto o tratamento deve ser individualizado. Suporte emocional e psicológico é importante.

Alguns experimentar remissões - períodos em que os sintomas desaparecem por meses ou anos. Entretanto, na maioria, há a volta dos sintomas após algum tempo.

Que tratamentos são disponíveis?
 

Várias formulações de ácido 5-aminossalicílico são disponíveis. Esta droga é usada no tratamento de DII há mais de 50 anos e permanece sendo bem indicada. Tem efeito anti-inflamatório sobre o intestino.

Terapia com corticosteróides, como prednisona e hidrocortisona, é empregada quando há indícios de que a doença esteja ativa. Têm potente ação anti-inflamatória, mas como seu uso a longo prazo é complicado por uma série de efeitos colaterais, estas drogas devem ser usadas somente quando estritamente necessárias e pelo menor tempo possível.

O tratamento imunossupressor com azatioprina pode trazer benefícios a longo prazo - como já vimos, na origem da doença parece haver a participação de nosso sistema imune.

Atualmente, remédios da classe Biológicos (Infliximab e Adalimumab) podem ser utilizados para casos mais graves.

Hospitalização
 

Ocasionalmente, os sintomas são tão intensos que é necessário a
hospitalização para melhor acompanhar e estabilizar o quadro.

Cirurgia
 

Aproximadamente 25 a 40% dos portadores de RCUI são submetidos a algum
procedimento cirúrgico em alguma época de sua vida.

« Voltar