Doenças do aparelho digestivo

Úlcera Péptica

O que é úlcera péptica?
 

A úlcera péptica é uma ferida no revestimento do estômago ou duodeno - o início do intestino delgado. Menos comumente, uma úlcera péptica pode desenvolver-se logo acima do estômago, no esôfago, o tubo que liga a boca ao estômago.

A úlcera péptica no estômago é chamada de úlcera gástrica. Aquela que ocorre no duodeno chama-se úlcera duodenal. As pessoas podem ter úlceras gástricas e duodenais, ao mesmo tempo. Também podem desenvolver úlceras pépticas mais de uma vez em sua vida.

O que causa a úlcera péptica?


Uma bactéria chamada Helicobacter pylori (H. pylori) é uma das principais causas de úlceras pépticas. As úlceras induzidas pelo H. pylori ocorrem frequentemente no duodeno. Os antiinflamatórios não-esteróides (AINEs), como a aspirina e ibuprofeno, são outra causa comum.

As úlceras causadas pelo uso de AINE freqüentemente aparecem no estômago. Raramente, tumores cancerosos ou não cancerosos no estômago, duodeno ou pâncreas causam úlceras.

As úlceras pépticas não são causadas por estresse ou comer alimentos picantes, mas ambos podem piorar os sintomas. O tabagismo e ingestão de bebida alcoólica também podem piorar as úlceras e impedir a sua cura.

O que é o H. pylori?


O H. pylori é um tipo de bactéria - um micróbio que pode causar infecção. A infecção pelo H. pylori é comum, particularmente nos países em desenvolvimento e muitas vezes começa já na infância. Os sintomas geralmente não ocorrem até a idade adulta, embora a maioria das pessoas nunca tenham quaisquer sintomas.

As bactérias são encontradas em mais da metade das pessoas que desenvolvem úlceras pépticas. A bactéria provoca úlceras pépticas por danificar o revestimento mucoso que protege o estômago e duodeno. A lesão do revestimento mucoso permite que o ácido forte do estômago atinja o revestimento sensível situado mais abaixo. Juntos, o ácido do estômago e H. pylori, irritam o revestimento do estômago ou duodeno e causam a úlcera.

No entanto, a maioria das pessoas infectadas pelo H. pylori nunca desenvolvem úlceras. Não se sabe por que a bactéria provoca úlceras em algumas pessoas e não em outras. É mais provável que o desenvolvimento da úlcera dependa das características da pessoa infectada; o tipo ou cepa, do H. pylori presente e outros fatores ainda ainda bão descobertos.

Como se transmite o H. pylori?


Os pesquisadores ainda não tem certeza como é transmitido o H. pylori, embora eles pensem que possa ser disseminado através de água e alimentos contaminados. As pessoas podem adquirir a bactéria de alimentos que não foram bem lavados ou cozidos apropriadamente ou, ainda, bebendo água proveniente de uma fonte não confiável. 

Pesquisas estão sendo realizadas para saber como a infecção se dissemina de uma pessoa infectada para outra não infectada. Estudos sugerem que o contato com fezes ou vômitos de uma pessoa infectada pode espalhar a infecção pelo H. pylori. Também foi encontrada a bactéria na saliva de algumas pessoas infectadas sugerindo que ela poderia se transmitir através do contato direto com a saliva.

Quais são os sintomas da úlcera péptica?


Desconforto abdominal é o sintoma mais comum de úlceras gástricas e duodenais. Sentida em qualquer lugar entre o umbigo e o esterno, este desconforto geralmente:

  • é uma dor enjoada ou em queimação
  • ocorre quando o estômago está vazio - entre as refeições ou durante a noite
  • pode ser aliviada por pouco tempo com a ingestão de alimentos no caso de úlceras duodenais ou tomando antiácidos, em ambos os tipos de úlceras
  • dura minutos ou horas
  • vem e vai por vários dias ou semanas
     

Podem haver outros sintomas, como:

  • perda de peso
  • falta de apetite
  • estufamento
  • arrotos
  • náuseas
  • vômitos
     

Algumas pessoas podem não sentir qualquer sintoma ou somente sintomas leves.

Sintomas de Emergência

Uma pessoa que tenha qualquer um dos seguintes sintomas deve chamar um médico imediatamente:

  • dor de estômago aguda, acentuada, súbita e persistente
  • fezes sanguinolentas ou pretas
  • vômito com sangue ou que parece com borra de café
     

Estes sintomas “de alarme” podem ser sinais de um problema sério, como:

  • hemorragia: quando o ácido ou a úlcera péptica rompem um vaso sanguíneo
  • perfuração: quando a úlcera péptica penetra completamente através do estômago ou a parede duodenal
  • obstrução: quando a úlcera péptica bloqueia a passagem da comida para deixar o estômago
     

Como é diagnosticada a úlcera induzida pelo H. pylori?


Técnicas Não Invasivas

Se um paciente tiver sintomas de úlcera péptica, o médico primeiro pergunta sobre o uso de AINEs. Pacientes que estão tomando uma AINE devem parar, reduzir a dose ou mudar para outra medicação.

Em seguida, o médico testa para ver se o H. pylori está presente. O teste é importante porque as pessoas com uma infecção pelo H. pylori exigem medicamentos adicionais além das que são indicados para pessoas que têm úlcera induzida por AINE, mas sem a infecção.

Os médicos usam um dos três testes não-invasivos para detectar o H. pylori : no sangue, respiração ou fezes do paciente. O teste respiratório e exame de fezes detectam com mais precisão o H. pylori do que o teste de sangue.

Infelizmente estes testes além do seu alto custo não estão disponíveis na maioria das regiões brasileiras. Neste caso, a sua pesquisa é realizada durante o exame endoscópico (técnicas invasivas).

  • Teste sorológico: Uma amostra de sangue é retirada da veia do paciente e testada para anticorpos de H. pylori. Os anticorpos são substâncias que o corpo produz para combater a invasão de substâncias nocivas -chamadas de antígenos - tais como a bactéria H. pylori.
     
  • Teste respiratório com uréia marcada: O paciente engole uma cápsula, líquido ou pudim que contém uréia "marcada" com um átomo de carbono especial. Depois de alguns minutos, o paciente respira em um recipiente, expirando dióxido de carbono.

    Se o átomo de carbono especial encontrar-se no ar exalado, o H. pylori está presente, já que esta bactéria contém grandes quantidades de urease, uma substância química que quebra a uréia em amônia e dióxido de carbono.

     
  • Teste do antígeno fecal: O paciente fornece uma amostra de fezes, que é testada para os antígenos de H. pylori.
     

Técnicas Invasivas

Se o paciente tiver sintomas de úlcera, o médico solicita uma endoscopia digestiva alta. É um procedimento realizado ambulatorialmente, geralmente em hospital, indolor e que permite o médico examinar as paredes do esôfago, estômago e duodeno do paciente.

Para uma endoscopia, o paciente é levemente sedado. O médico passa um endoscópio - um tubo fino e iluminado com uma minúscula câmera na ponta - na boca do paciente e da garganta para o esôfago, estômago e duodeno. Com este aparelho, o médico pode examinar bem de perto o revestimento do esôfago, estômago e duodeno.

O médico pode tirar fotos de úlceras ou retirar um pequeno pedaço de tecido - não maior que uma cabeça de fósforo - para ser examinado com um microscópio. Este procedimento é chamado de biópsia. O tecido de biópsia é examinado para ver se o H. pylori está presente.

Se a úlcera estiver sangrando, o médico pode usar o endoscópio para injetar medicamentos que ajudam a coagular o sangue ou para guiar uma sonda de calor que queima o tecido para parar o sangramento — um processo chamado cauterização.

Como é tratada a úlcera péptica induzida pelo H. pylori?


A úlcera péptica causada pelo H. pylori é tratada com medicamentos que matam a bactéria, reduzem a acidez do estômago e protegem o revestimento do estômago e duodeno. Os antibióticos são utilizados para matar o H. pylori.

Os esquemas de antibióticos podem ser diferentes em todo o mundo, porque algumas cepas de H. pylori tornaram-se resistentes a alguns antibióticos - significando que um antibiótico que destruiu uma vez a bactéria não é mais eficaz.  

Os médicos seguem de perto as pesquisas sobre tratamentos com antibióticos para a infecção pelo H. pylori saber qual estratégia de tratamento irá destruir determinada cepa da bactéria.

No Brasil, a terapia tríplice baseada em claritromicina é o tratamento padrão para uma infecção por H. pylori. O médico prescreve o antibiótico claritromicina, um IBP e a amoxicilina por 07 dias. Existem outros esquemas utilizados no nosso meio, recomendados pelo III Consenso Brasileiro do Helicobacter pylori.

Eles podem ser utilizados para tratar pacientes em uma ou várias situações, como quando o paciente:

  • não pode tomar amoxicilina: um antibiótico do grupo da penicilina - devido a uma alergia à penicilina
  • foi tratado anteriormente com um antibiótico do grupo dos macrolídeos, como a claritromicina
  • ainda está infectado pelo H. pylori porque terapia tríplice foi ineficaz para matar a bactéria
     

Os esquemas com antibióticos podem causar náuseas e outros efeitos colaterais, como:

  • desconforto no estômago
  • diarréia
  • dor de cabeça
  • gosto metálico
  • língua ou fezes escuras
  • vermelhidão se ingerir bebida alcoólica
  • sensibilidade ao sol
     

Os pacientes devem discutir os efeitos colaterais incômodos com seu médico, que pode prescrever outros medicamentos para matar as bactérias e curar a úlcera.

Embora os antibióticos possam curar 80 a 90% das infecções pelo H. pylori, a sua eliminação pode ser difícil. Pacientes devem tomar todos os medicamentos exatamente como prescritos, mesmo quando a dor da úlcera péptica se foi.

São necessários pelo menos 4 semanas após o tratamento para o médico investigar se infecção foi curada. Exames de sangue não são úteis após o tratamento, porque o seu resultado pode ser positivo para H. pylori, mesmo após a bactéria ter sido eliminada.

Se a infecção ainda estiver presente, as úlceras podem retornar ou, menos comumente, pode-se desenvolver o câncer de estômago. Assim, alguns pacientes precisam tomar mais de uma rodada de medicamentos para matar o H. pylori.

Vários esquemas de tratamento podem ser utilizados se o tratamento inicial falhou - uma estratégia chamado retratamento, terapia de "resgate" ou de "salvar". Na segunda rodada de tratamento, o médico prescreve antibióticos diferentes daqueles usados no primeiro tratamento.

A amoxicilina, no entanto, pode ser utilizada novamente para tratar a infecção pelo H. pylori porque a resistência da bactéria a este antibiótico é rara.

Os antiácidos ou leite podem ajudar a cicatrizar a úlcera?


Um antiácido pode fazer da úlcera dor sumir temporariamente, mas não matará o H. pylori. As pessoas que estão sendo tratadas para o H. pylori devem consultar seu médico antes de tomar antiácidos. Alguns antibióticos usados para matar H. pylori podem não funcionar tão bem se combinado com um antiácido.

As pessoas costumam acreditar que tomando leite ajudaria a cicatrizar as úlceras. Mas os médicos agora sabem que enquanto o leite pode fazer sentir-se melhor da úlcera temporariamente, ele também aumenta a acidez do estômago, a qual faz a úlcera piorar. Os pacientes deveriam falar com seu médico sobre a ingestão de leite enquanto tentam cicatrizar a úlcera.

A infecção pelo H. pylori pode ser prevenida?


Ninguém sabe ao certo como o H. pylori se propaga, então a prevenção é difícil. Pesquisadores estão tentando desenvolver uma vacina para prevenir - e até mesmo curar - a infecção pelo H. pylori. Para ajudar a prevenir a infecção, os médicos aconselham as pessoas a:

  • lavar as mãos com água e sabão após usar o banheiro e antes de comer
  • comer alimentos que tenham sido bem lavados e cozidos corretamente
  • beber água de uma fonte limpa e segura
     

Pontos para lembrar
 

  • Uma úlcera péptica é uma ferida no revestimento do estômago ou duodeno.
     
  • A maioria das úlceras são causadas pelo H. pylori. O uso de antiinflamatórios não-esteróides, como aspirina e ibuprofeno - é uma outra causa comum de úlceras pépticas.
     
  • Nem o estresse ou a comida picante provoca úlceras. Fumar ou beber álcool, no entanto, cada um por si, pode agravar úlceras e impedir sua cura.
     
  • O desconforto abdominal das úlceras pépticas – sentida como uma dor chata ou ardor – ocorre quando o estômago está vazio - entre as refeições ou durante a noite – pode ser brevemente aliviada pela ingestão de alimentos, no caso de úlceras duodenais, ou tomando antiácidos, em ambos os tipos de úlceras pépticas – tem a duração de minutos a horas – vai e vem por vários dias ou semanas.
     
  • Uma associação de antibióticos e medicamentos redutores do ácido gástrico é o tratamento mais eficiente para as úlceras pépticas induzidas pelo H. pylori.
     
  • É necessário pesquisar depois do tratamento para H. pylori é para se certificar se as bactérias sumiram.
     
  • Para ajudar a prevenir uma infecção pelo H. pylori, as pessoas deveriam – lavar as mãos após usar o banheiro e antes de comer – comer alimentos adequadamente preparados – beber água de uma fonte limpa e segura.
     
  • Para ajudar a prevenir úlceras por AINEs, os médicos podem orientar seus pacientes para – tomar AINEs com uma refeição – usar a menor dose eficaz – tomar um IBP ou bloqueador H2.

     

« Voltar